segunda-feira, 12 de julho de 2010

A hipocrisia sobre os "presos políticos cubanos"

Na próxima quinta-feira, vão ser julgados dezenas de cidadãos por motivos políticos. Qualquer leitor mais distraído poderia pensar que se trata de cubanos que enfrentam o "terrível regime cubano". Mas não. Não se trata de inimigos da revolução cubana. Por isso, não recebem os focos das principais agências de notícias. Por isso, se trata de silenciar o que ali se passa.

A Audiência Nacional espanhola - tribunal de excepção onde figurava o tão aplaudido Baltasar Garzón - vai julgar mais de 20 autarcas bascos. A estes, podemos acrescentar os 37 sentenciados do processo 18/98 que já estão na prisão. Entre eles, encontram-se vários jornalistas. Infelizmente, não são cubanos porque, então, seriam apelidados de "jornalistas independentes" e de "heróis da liberdade de expressão".

E os 75 jovens independentistas bascos presos, jovens aos quais não se pôde imputar nada mais do que a sua militância em organizações independentistas? E as dezenas de dirigentes da esquerda independentista basca que estão na prisão processados por fazer política? Que são todos eles senão presos políticos?

4 comentários:

Fernando disse...

Está justificado o facto de haver presos políticos em Cuba?

Pedro Bala disse...

http://www.youtube.com/watch?v=O-lx_uPgZ-A

tens aí a tua resposta.

Luís Rocha disse...

Camarada Pedro,

Viva a Cuba Socialista e viva Euskal Herria Socialista e independente!

Este franquismo espanholista mete nojo! nooojjjoooo!!!!

Falemos dos presos políticos nas masmorras do regime espanhol!

Viva a Galiza Ceive, vivam os Países Catalães, viva o Portugal de Abril!

Venceremos! Liberdade para os presos políticos do Capitalismo!

Membro do Povo disse...

Um dia o Povo será o juiz e o carrasco desses ditos democratas, que cospem na palavra democracia a cada acto reaccionário da sua política!