domingo, 20 de setembro de 2009

A Rádio Moscovo apoia a CDU

A Coligação Democrática Unitária (CDU), composta pelo Partido Comunista Português (PCP), pelo Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV), pela Intervenção Democrática (ID) e por milhares de cidadãos independentes, representa uma força que defende os interesses do povo português, com destaque para a classe trabalhadora.

Nela, podemos encontrar todo o tipo de gente. Como no metro ou autocarro na hora-de-ponta. Operários, trolhas, carpinteiros, mecânicos, serralheiros, enfermeiros, médicos, psicólogos, professores, estudantes, jornalistas, motoristas, empregados-de-mesa, reformados, actores, escritores, músicos. Cada um deles, para romper a censura mediática, dedica-se, nas horas livres, a colar cartazes, a levantar pendões, a pôr faixas, a conduzir carros-de-som, a distribuir panfletos e a contactar com outros.

É gente que encara a política com as mangas arregaçadas. Gente que não paga a outros para que façam o trabalho duro. Gente que não serve os interesses de outros que não os seus iguais. Gente que vive do seu trabalho e que luta contra a exploração. Gente que vive como a maioria do povo português. Gente com as mesmas dificuldades, com os mesmos problemas, com os mesmos dilemas. Gente que não quer nada para si senão for para todos.

É esse o motivo que leva a comunicação social a censurar a CDU. Servindo os interesses de quem manda, serve também os interesses dos nossos patrões. Por isso, há que calar a voz destes trabalhadores. Antes que ela se espalhe. É também por isso que surgem oportunistas que tentam confundir o povo português.

Quem se esquece de José Sá Fernandes, o Zé que fazia falta aos cidadãos de Lisboa, segundo o Bloco de Esquerda (BE), e que, depois, veio apoiar as políticas de direita de António Costa? Quem se esquece de António Chora, coordenador da Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa, protagonista do "sindicalismo moderno"? António Chora, membro da Comissão Política do BE e deputado à Assembleia da República, serviu os interesses do patronato. Abriu caminho à perda de direitos dentro da Autoeuropa, com grande apoio da comunicação social, até que os trabalhadores decidiram resistir. Pouco depois, foi visto no jantar de despedida de Manuel Pinho, o ministro da Economia que insultou o PCP. Sobre ele, viria a afirmar que se tratara de um dos melhores ministros. O mesmo que na China havia apelado ao investimento em Portugal por termos dos salários mais baixos da Europa.

Também não podemos esquecer Manuel Alegre. Ele que sempre, e principalmente durante este mandato, tentou mostrar-se de esquerda. Quem esquece o semblante carregado, qual socialista furioso com o rumo de direita do Partido Socialista (PS)? Seria o mesmo que esteve, ontem, em Coimbra a apoiar o amigo José Sócrates e a defender o carácter de esquerda do PS e das políticas do governo? Seria o mesmo que esteve em fóruns com o BE? Nós sabemos quem é o verdadeiro Manuel Alegre. Como o sabe Francisco Louçã. Por isso, ontem, apesar do apoio de Manuel Alegre a José Sócrates, o líder do BE não teve qualquer problema em o defender. Porque aos oportunistas não importa quem se apoie desde que isso lhes traga algum benefício.

Contra a direita e o oportunismo, leva a luta através do voto na CDU!

7 comentários:

joseluz disse...

Caro Pedro Bala
Eu estou do seu lado quando você "desmascara" os ZÉS Fernandes,os Choras e outros ultras oportunistas,como mesmo a politica pequeno burguesa do BE,mas já não comungo da sua forma de proceder quando deixa para trás ou não critica, outros oportunistas do mesmo QUILATE e com as mesmas práticas de colaboração com o patronato,como por exemplo tem acontecido no sector do calçado, nos texteis, no sector metalúrgico e outros,(e olhe que são bastantes individuos e alguns estão no próprio seio do C.C.do PCP,se desejar conhecer estas PERSONALIDADES,terei todo o gosto em satisfazer essa sua curiosidade) onde apenas comparecem para apaziguar os animos e "exigir" a carta para o fundo de desemprego,quando o seu dever era de mobilizar e apresentar propostas de luta á classe, que inclusivamente poderiam muito bem passar pela ocupação dessas empresas,pois trata-se de defender os postos de trabalho.
Ou até mesmo as politicas do PCP,quando estas não apresentam diferênças substânciais em relação aquelas que o BE apresenta,e até soluções politicas que se enquadram na forma como a burguesia capitalista pretende ultrapassar a actual crise em que está ATOLADA.
O meu reparo é apenas para lhe dizer,que devemos ser consequentes a tratar o OPORTUNISMO,não só em casa alheia,como mesmo dentro da nossa própria casa.Só assim nos manteremos vigilantes e revolucionários comunistas.

"alutaoperária.wordpress.com"

Anónimo disse...

Bala, estava pesquisando sobre Carlos Fonseca, e encontrei teu blog. Gostaria de fazer contato. Sou brasileira, sem terra, e pra começar, fiquei curiosa com teu nome, "Pedro Bala", é em virtude do personagem do Jorge Amado? jstronzak@yahoo.com.br

Luís Rocha disse...

O PCP (e a CDU) encheu o Pavilhão Rosa Mota do Palácio de Cristal e eu estive lá a cantar alto e bom som:

"Venceremos, veneceremos! A batalha contra a exploração!
Venceremos, venceremos! Com a força da nossa razão!
Venceremos, venceremos! A luta por um mundo novo!
Venceremos, venceremos! A nossa luta é a luta do povo!"

Camarada brasileira: cá em Portugal estamos solidários com as vossas lutas, nós também tivemos a nossa reforma agrária - infelizmente essa luta teve um retrocesso histórico. Mas tal como Luis Carlos Prestes, tal como Jorge Amado, tal como Zumbi, tal como Tiradentes, tal como Carlos Marighella e o Capitão Lamarca não baixamos as armas e vamos continuar a lutar pelo que é nosso. Ao o que é do povo (como diz o camarada Hugo Chávez)!

Caro José Luz: enquanto você manda bocas, nós erguemos o movimento de massas para a luta!

rafa hortaleza disse...

mucha suerte y todo mi apoyo para la CDU.

joseluz disse...

Caro Luis Rocha
Esse "movimento de massas que vão erguer para a luta" é para lutarem e exigirem estas MEDIDAS CENTRAIS que o PCP,propõe no seu programa? Passo a citar:
"Um programa de RUPTURA,PATRIÓTICO e de ESQUERDA,que contrapõe às politicas económicas ao serviço do grande capital,uma nova politica de desenvolvimento económico ao serviço do País e que tem como objectivos centrais:O pleno emprego como a grande prioridade;O crescimento económico,pelo aumento significativo do investimento público e da eficácia e eficiência na utilização dos fundos comunitários,pela ampliação e dinamização do mercado interno,acréscimo das exportações,aumento da competitividade e da produtividade das empresas portuguesas e a defesa e afirmação do aparelho produtivo nacional como motor do crescimento da economia." Se é por isto que você vai lutar,então quero-lhe dizer que está a lutar não pelos interesses do proletariado e do comunismo,mas sim pelos interesses do grande capital.
Caro Pedro Bala
Já que disse que eu "extrapolei" e apenas utilizei as partes que me interessavam,no penúltimo comentário que lhe fiz,então também para si, aqui, lhe deixo, a parte do programa que anteriormente não quis utilizar.
Só espero que reflita nestas propostas e depois as compar com as propostas do BE,do PS,do PSD,do CDS/PP e de todos os outros pequenos partidos e me diga onde estão as suas diferênças.
Não abram os olhinhos, não!

Nota:Eu gostaria ainda, era de saber o que pensa Pedro Carvalho destas propostas,depois de ele ter escrito vários artigos,contra esta lógica burguesa e capitalista,principalmente, o artigo de Fevereiro último,e que vós devieis consultar. "odiario.info"
Consulta e comenta a "alutaoperária.wordpress.com"

amigona avó e a neta princesa disse...

E assim será!

F. disse...

"Dá-me um shot eleitoral"
&
"Dar no duro"

os vídeos mais polémicos desta campanha estão disponíveis em

http://pedro-procura-ines.blogpsot.com