domingo, 25 de maio de 2008

Até sempre, camarada!

"Se o povo vir em nós guerrilheiros autênticos sentir-se-á ligado à luta e reforçará a sua solidariedade. Quando esta solidariedade conseguir elevar o nível da sua consciência, o movimento guerrilheiro crescerá. Crescerá então todo o movimento revolucionário".

Manuel Marulanda


"E há os que lutam toda a vida. Esses são os imprescindíveis." Assim é como desaparece a figura de Manuel Marulanda Vélez. Um revolucionário que marca definitivamente a história do povo colombiano. Ontem, denunciei as manobras mediáticas sobre a morte do comandante das FARC-EP. Era necessário faze-lo porque o facto de hoje se confirmar o desaparecimento de Marulanda não legitima a forma como a comunicação social trabalhou a notícia. Como disse, este imprescindível morreu e renasceu mais de cem vezes nas capas dos jornais. Agora que é verdade, é tempo de gritar bem alto que, pela morte dos nossos camaradas, nem um minuto de silêncio mas toda uma vida de combate!

Con Bolívar, con Manuel, con el pueblo al poder!



A notícia do comunicado das FARC-EP ao canal televisivo venezuelano Telesur:

"O membro do secretariado e porta-voz das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Timoleón Jimenez, confirmou através de um vídeo enviado à Telesur, a morte do líder e fundador desse grupo armado, Manuel Marulanda, também conhecido como "Tirofijo".

No material audiovisual, o porta-voz assinalou que com "imenso pesar informamos que a 26 de Março morreu de um infarto cardíaco, nos braços da sua companheira, acompanhado da sua guarda pessoal e dos seus companheiros".

"Despedimo-nos fisicamente em nome dos milhares e milhares de guerrilheiros farianos" (...) "partiu o grande líder", acrescentou.

Lendo o comunicado oficial, Jiménez, referiu-se à trajectória política de Marulanda e destacou a sua "liderança e capacidade militar", como também reafirmou que a luta das FARC continua a ser a "luta pelo poder político, a luta por uma sociedade de justiça social e a luta pelo socialismo".

O porta-voz anunciou que Alfonso Cano assumirá o lugar de Marulanda e que se integrará no secretariado Paulo Catatumbo, como suplentes ficarão Bertulfo Alvarez e Pastor Arape. Anunciou, para além disso, que a organização tem confiança nos seus princípios revolucionários. "Continuaremos as nossas tarefas conforme os planos", sublinhou.

A respeito da posição das FARC sobre os acordos humanitários, acrescentou que as suas "propostas em relação aos acordos humanitários e à resolução política [do conflito] continuam vigentes" (...) "serão confluência e gerarão um grande esforço pela paz".

A declaração conclui saudando o 44º aniversário do grupo rebelde com uma "sentida homenagem a Manuel Marulanda".

"Perante o altar da pátria juramos vencer", finaliza o discurso.

A confirmação por parte da direcção das FARC dá-se um dia depois do ministro colombiano da Defesa, o conservador Juan Manuel Santos, dizer numa entrevista à revista Semana que por informações da inteligência, o governo conhecia que o líder histórico deste grupo armado estava morto por uma paragem cardíaca que se deu a 26 de Março, segundo a versão da guerrilha."

em Telesur

3 comentários:

LGF Lizard disse...

Afinal não era boato....

HERCULANO disse...

DEP.
PERMANECE VIVO NOS CORAÇÕES DE TODOS OS LUTADORES BOLIVARIANOS.

Anónimo disse...

Marulanda era dos imprescindíveis - daqueles homens que lutam toda a vida.

A sua morte é uma perda para todo o movimento revolucionário mundial.

Mas da América Latina oprimida pelo imperialismo e sua oligarquias nacionais continuarão a nascer - todos os dias - revolucionários como Marulanda.

É esse o destino dos homens - levantarem-se.

A luta continua, a vitória é certa.

Manuel Gouveia