segunda-feira, 20 de abril de 2009

Um ano de Rádio Moscovo

A Rádio Moscovo atingiu as 10 mil visitas e as 18 mil visualizações. Depois de um ano de emissão, a média diária situa-se entre as 30 e as 40 visitas. Fundamentalmente, a maioria dos nossos leitores são portugueses e brasileiros. Mas também os há bascos, galegos, catalães, castelhanos, franceses, italianos, venezuelanos, chilenos e argentinos. Até agora não conseguimos uma grande participação dos leitores. Por norma, os comentários não excedem a unidade. E quando isso acontece deve-se ao facto de haver alguma opinião mais polémica que conduz ao debate.

Este blogue é linkado por muitos outros. Mas não se submete à lógica da reciprocidade. A Rádio Moscovo não entra na lógica amiguista dos blogues ditos de esquerda que linkam blogues de direita só porque estes também o fizeram. Somos um blogue de combate. Isso evidencia-se pela quantidade de ligações a organizações e a meios de comunicação que raramente estão à disposição na internet. Destacando-se, entre elas, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - Exército do Povo, alvo de uma brutal campanha de desinformação. E esta é provavelmente a página portuguesa que mais destaque dá à luta dos camaradas colombianos.

A maioria dos artigos produzidos pelo blogue referem-se à América Latina e a Portugal. Contudo, no ano que passou, também se publicaram textos sobre o Curdistão, a Palestina, a Síria, a Turquia, a Ossétia, a União Soviética, o Nepal, a China, os Estados Unidos, o País Basco, o Sara Ocidental e a União Europeia. Para além dos artigos de opinião, recorreu-se à crónica e à entrevista. Esta última - com destaque para a conversa com Jorge Alvarado, embaixador da Bolívia - foi pouco usada devido à sua incompatibilidade com o formato blogue.

Politicamente, a Rádio Moscovo debruça-se mais sobre a reconstituição e o reforço do movimento operário internacional. Em quase todos os artigos, ficou patente a necessidade de se combater o reformismo e a social-democracia. As graves consequências do fim da União Soviética abriram caminho a tendências que já se vinham solidificando desde o pós-guerra. A Rádio Moscovo promoveu a memória histórica sobre a pátria de Lénine mas sem qualquer pendor saudosista. Os povos nunca compreenderão os caminho que devem seguir senão souberem analisar historicamente as razões que o levaram a esta etapa.

A Rádio Moscovo procura destruir mistificações. Naturalmente, este blogue não é mais do que um grão de areia. E não pretende ser o que não é. Mas tenta-se, também aqui, dar um contributo à luta contra a propaganda veiculada pelos media dominantes. A batalha ideológica trava-se contra um gigantesco aparelho numa correlação de forças profundamente desigual. E cada pessoa que conseguirmos trazer para o nosso lado da barricada é já uma vitória. Sabendo sempre que a principal batalha se trava nos locais de trabalho e nos nossos bairros.

Este blogue também tenta reflectir um pensamento e uma cultura suburbanas. Procura dar voz à dissidência dos novos muralistas e dos novos músicos de intervenção. Porque é nos bairros onde os filhos da classe trabalhadora usam o que têm ao seu alcance para contornar a escassez de tudo. Entre o betão e as estrelas, como diria Keny Arkana, as paredes são telas e os passeios são palcos. Não admira, pois, que entre um subúrbio como a Amadora e o Cacém e um outro como Almada ou o Seixal haja diferenças substanciais. É que nestes últimos as autarquias põem ferramentas à disposição dos jovens.

Perante a crise do sistema capitalista e com um ano de importantes batalhas eleitorais, urge reforçar a luta de massas e a mobilização geral pelo transporte desse combate até ao voto. Não vivemos uma situação revolucionária mas o descrédito no capitalismo cresce e com ele tem de crescer a consciência da necessidade de uma alternativa. O blogue Rádio Moscovo continuará a dar o seu contributo e estará na linha-da-frente por um salto qualitativo na consciência e na luta. Um pequeno contributo porque um blogue não é mais do que um blogue.

Obrigado a todos os que nos lêem.
A luta é o único caminho!

10 comentários:

Luís Rocha disse...

Parabéns camarada!

Tens toda a razão, quando te opões à conciliação de classes. A posição dos revolucionários deve ser sempre de nenhuma cedência à direita e nenhuma cedência ao capital.

Um abraço

LGF Lizard disse...

Parabéns, pá!

Embora não partilhe a grande maioria das tuas opiniões, é salutar ver como o teu blog/site já fez um ano como espaço de opinião. É giro ver como as liberdades ditas "burguesas" até funcionam....

Espero que daqui a um ano esteja a dar-te os parabéns pelos dois anos...

Lili disse...

aprendo muito aqui. :)obrigada!

Hugo Besteiro disse...

Parabéns pah!

Pedro Bala disse...

Obrigado a todos!

Anónimo disse...

PAABÉNS

filipe guerra disse...

Rádio Moscovo, sintonização obrigatória.

Parabéns!

Anónimo disse...

Sempre ligado!
Parabéns e força!
E um abraço amigo,
R.

lp16 disse...

Desde o "day-one" que acompanho as emissões incendiárias da R.M., em inteira sintonia com a Luta de Classes..
E do lado certo da Barricada!


Um bem-haja portanto, e mais um ano pleno de informação Proletária!

Anónimo disse...

vai mas é trabalhar malandro!|!!!